Menu

Vereadores de Assis Brasil

Publicidade

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

22ª SESSÃO ACONTECEU NESTA ÚLTIMA TERÇA FEIRA




1 WENDELL GONÇALVES (PR)
Falou sobre a polémica do ano passado aonde o chefe da Seaprof, o senhor Marquinho, disse que os vereadores tinham tomado o trator para mandar embora do município e que a culpa dos trabalhos não estarem acontecendo seria dos vereadores, fato este que o mesmo continua disseminando na zona rural. Com isso uma moradora do Iracema reclamou com o Vereador, no que o mesmo destacou que o trator da Seaprof já está com três meses dentro de uma propriedade de fazendeiro, sendo cobrado 250 reais a hora, isso porque o fazendeiro pode pagar, no entanto acaba por deixar o pequeno produtor sem atendimento. Nisto destacou que essa era a briga comprada pelos Vereadores, justamente para tirar o trator das mãos de empresários, pois no ano passado estava alugado para empresários e os produtores não estavam sendo atendidos, bem como para que não seja cobrado do produtor os trabalhos feitos pelo trator, porque é uma máquina do Estado e deveria fazer o serviço de graça. Continuando, reclamou que o senhor Marquinhos está há vinte anos à frente da Seaprof, usando os carros para fazer coisas particulares e quando vai prestar serviço para o pequeno produtor, cobra valor absurdo. Outro assunto, tratado foi a solicitação para que o Secretário de Obras, faça logo o uso do material fresado que veio de Epitaciolandia para tapar os buracos maiores de Assis Brasil, uma vez que o material está guardado e já deveria ter sido usado. Finalizou questionando aonde estão as máquinas do Governo que estavam para chegar desde junho. Disse que já está a tempo de trabalhar, pois os ramais é uma sede do povo, nisto pediu que o Estado faça ramal de qualidade porque no ano passado foi gasto cerca de 400 mil e este ano está perdido.

2 CLÁUDIA GONÇALVES (PSD)
Relembrou da reunião no Iracema, aonde o Marquinho da Seaprof disse para os moradores que a culpa de máquina não estar trabalhando era dos Vereadores que haviam pedido para retirá-la de Assis Brasil e que os Vereadores perseguiam ele mandando documento para Rio Branco. Mas ela defendeu dizendo que todo mundo sabe que o trator nunca saiu do município e o documento feito pelos Vereadores era para verificar as irregularidades em relação ao uso do trator pela Seaprof porque não estava beneficiando os produtores rurais de forma gratuita, sendo que de tudo é cobrado frete a um alto valor, nisto ressaltou que os Vereadores sempre são cobrados para tomarem uma providência em relação a isso. Acrescentou que o caminhão da Seaprof também não está sendo usado em prol do produtor, mas sim para um pequeno grupo. Dentre outras coisas, reclamou sobre as ruas esburacadas, aonde moradores por conta própria estavam tapando buracos e solicitaram concreto/pedra do Secretário de Obras, no que ele negou, então Prefeito teve que intervir na liberação. Finalizou dizendo que é difícil trabalhar assim e que muitas vezes não consegue falar com Prefeito por causa da sua secretária. Também falou sobre as licitações e a falta de medicamentos nos postos.

3 LÁZARO MANCHINERI (PC do B)
Elogiou o Governo por mandar fazer ramal da outra vez, mas o governo tem que lembrar que no verão todo carro entra, mas no inverno ninguém entra. Destacou que os indígenas que são quem usam o ramal, sabem o sofrimento que passam e no inverno que eles sofrem mais. Destacou que o sonho deles é ver o ramal piçarrado para deixar de pagar altos fretes.  Falou de sua indicação solicitando apoio da saúde para transporte de indígenas até o hospital quando o carro do pólo e o SAMU estiverem ausentes. Nisto citou um caso em que uma gravida teve que ir do km 02 até o hospital a pé. Aproveitou para reclamar que nos postos não tem remédios e que os indígenas não têm condições de comprar na farmácia, isso é um grande problema. Também falou de outra que fez, solicitando a construção de escola na comunidade Senegal, pois o local aonde eles estão estudando é uma casinha que eles mesmos construíram e hoje ela está acabada, sem estrutura, então precisam de uma escola, sendo que estão no direito deles, porque lá tem cerca de 20 alunos. Dentre outras coisas, contou que os indígenas estão sendo discriminados pelos setores que são responsáveis por eles, citando que as emergências nas aldeias já não tem helicóptero para ir buscar, com isso se um índio adoecer, vai morrer lá como se fosse um cachorro. Finalizou falando da falta de telefone na comunidade Extrema e informando que estará fazendo uma indicação solicitando uma limpeza no Rio, porque além de estar seco, está cheio de balseiros e quase não dá para viajar de barco, sendo um problema, já que o ramal também não oferece condições.

4 ANTONIA CAVALCANTE (PC do B)
Inciou falando sobre  curso que deixou duas pessoas de fora, depois discorreu sobre políticos que estão usando a máquina escancaradamente para fazer campanha, destacando que acontece na educação, na Seaprof e isso se chama descaramento, pois está usando a coisa pública. Também com relação ao Programa Luz para Todos (LPT), tem recebido muitas reclamações das pessoas que vão conferir e não estão inseridos no LPT e por meio de politicagem alguém liga na Eletrobrás e resolve descaradamente, fato que não é pra ser resolvido desta maneira pois em outros tempos não acontece assim. Mudando de assunto, parabenizou a conquista de uma grande luta, que era para que a área do antigo hospital fosse passado para a Educação e agora foi passado, já estão quase prontas as salas. Com isso vai diminuir a superlotação das salas de aula porque existem algumas que têm 45 alunos. Nisto disse que se Deus quiser daqui para o final do ano será entregue.

5 GILDA ALMEIDA (PR)
Solidarizou se com Lázaro porque desde o início que ele faz reivindicações para o seu povo, destacou que irá ajuda-lo nessa última indicação, mas destacou que em Assis é até difícil a VAN levar o pessoal então a cada dia as coisas estão ficando mais complicadas. Alfinetou com relação ao Marquinho da Seaprof, dizer que toda a vida ele fez um trabalho bom, destacando que ele não está sendo verdadeiro, porque há anos e anos ele teve a seaprof como se fosse a casa dele, pois nunca teve fiscalização no desenvolvimento de seu trabalho. Nisto acrescentou que ele acusa os Vereadores, quando na verdade é ele próprio que não quer fazer nada. Acrescentou que que irá em Rio Branco fazer novas reclamações a respeito de Marquinhos, porque ninguém sabe se a Seaprof é um órgão do governo ou propriedade privada, uma vez que quem manda, quem diz o que faz e o que não faz é ele, sendo que a Seaprof é para ajudar o produtor, no entanto estes não são ajudados. Aconselhou que o Marquinhos deveria mudar o discurso e dizer que nunca fez nada certo. Concluiu que ainda tem fé que vai ver essa história da Seaprof mudar. Sobre os buracos da cidade, contou que o Ermison juntamente com o Gerineudo fizeram uma pequena equipe para trabalhar e deu resultado e que prefeito informou que irá começar verdadeiramente os trabalhos nesse final de mês e semana que vem começa os serviços de iluminação pública. Finalizou citando uma cidadã que caiu em rua escura e esburacada, destacando que realmente é hora de começar os trabalhos.



VÍDEOS INTERESSANTES

Câmara Municipal De Assis Brasil - Acre
Rua Raimundo Chaar, 372, Centro - CEP. 69935.000