Menu

Vereadores de Assis Brasil

Publicidade

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

CÂMARA VOLTA AOS TRABALHOS E REALIZA A 18ª SESSÃO ORDINÁRIA. CONFIRA AS PAUTAS!



1 WENDELL GONÇALVES (PR)
Falou sobre as visitas do ICMBIO ao município, aonde novamente aplicaram multas absurdas em pessoas que não tem condições de pagar. Nisto, enfatizou que a Câmara está atenta a estes casos. Acrescentou que sabe da realidade do Governo, do incentivo na mecanização de terras, mas destacou que em Assis Brasil não tem maquinário, então os colonos têm que brocar ou queimar para poder produzir.  Além disso, disse que fica observando os grandes produtores, pois estes não sofrem com as penalidades, uma vez que tem dinheiro para pagar as multas. Nisto deixou seu repúdio às multas aplicadas pelo ICMBIO. Mudando de tema, discorreu sobre matéria que chegou na Casa, sobre professores da educação, aonde a Vereadora se manifestou colocando os demais vereadores no fogo. Mas destacou que houve um equívoco por parte dos funcionários no que diz respeito a apresentação da matéria, mas que, ainda assim não gostou do que aconteceu em relação a essa matéria. Dentre outras coisas, relembrou sobre suas indicações de pontes no ramal do Icuriã. No que, comentou ter tido notícia de que um caminhão quase caiu na ponte, justamente por falta de manutenção na mesma. Finalizou dizendo que que o povo cobra e os vereadores também cobram, mas nada é feito. Nisto solicitou novamente que a Secretaria de Obras tome providência e faça manutenção nas pontes, informando que tem muitas pontes que já tem a madeira tirada, falta apenas um transporte e mão de obra.

2 CLAUDIA GONÇALVES (PSD)
Também falou sobre o projeto que chegou na Casa, sobre os salários dos professores, no que Ivelina já havia feito reunião com os professores e saiu notícia no jornal, antes de o projeto não ter sido apresentado na sessão, pois o mesmo havia apenas chegado. Mudando de assunto, relatou sobre reunião no Iracema com moradores, aonde Marquinhos da Seaprof estava presente e falou que estava chateado porque os Vereadores pediram para que o trator não saísse do município e alegou perseguição dos vereadores com ele. No que a Vereadora retrucou dizendo que o mesmo esqueceu que foi ele próprio quem disse que o Secretário iria pegar o trator de volta. Acrescentou criticando os fretes altos que a Seaprof cobra dos produtores, bem como no uso do quadriciclo. Com a palavra de volta, Cláudia, falou sobre as reclamações do povo, sobre o verdadeiro documento que assinaram para levar ao governo, que era sobre o uso indevido do trator. Outro assunto foi sobre o raio X no Hospital, onde o profissional provavelmente irá embora para Xapurí e Assis Brasil ficará à mercê. Finalizou informando que com relação as pontes, o Prefeito disse que DERACRE iria fazer quando viesse fazer os ramais, inclusive seria no mês de Julho, mas até agora não veio ninguém para começar os trabalhos.

3 ANTONIO CAMELO (PP)
Falou sobre as perdas de pessoas queridas que ele teve durante o recesso. Depois abordou sobre construção do auditório da Prefeitura que é mais uma conquista da Prefeitura. Mudando de assunto, comentou sobre o posto do bairro Bela Vista estar sem médico, por conta do mês de férias do médico. Nisto acrescentou que  teve conversa com o Prefeito, solicitando a contratação de um profissional substituto para atender aquela demanda, uma vez que sem médico no Bela Vista, toda a população vem para o posto Terezinha, causando superlotação e ultrapassa o quantitativo de fichas para atendimento médico diário, então pessoas podem ficar sem ser atendidas. Finalizou abordando sobre o boato de que um órgão fiscalizador havia mandado produtor arrancar o feijão para desocupar a terra, então disse que se for verdade, é desumano e seria próprio de denúncia. Acrescentou sobre a maromba, destacando que o Senhor Francisco Bessa, terminou o contrato que tinha com a Maromba, e ao final foi que entrou o Guilherme com a proposta para o Prefeito. Então como o senhor Chico não repassou nada para a Prefeitura durante o ano de 2017, então Guilherme assumiu até que seja feito a licitação, no prazo de até 3 meses. Sem contar que Guilherme tem as condições e maquinários para fazer a produção de tijolos. Dentre outras coisas, disse que recebeu reclamação de cidadão sobre o Guilherme ter assumido sem licitação, mas informou que o caso já foi passado no MP.


4 ANTONIA CAVALCANTE (PCdoB)
Relatou que foi convidada por alguns empresários para falar sobre a maromba, que foi retirada do senhor Francisco Bessa e passada para o senhor Guilherme, aonde não tem nada contra, mas sim contra a maneira como foi feita, no que destacou que cabe aos vereadores fiscalizarem porque a maromba não pode sair das mãos de uma pessoa e passar para outra sem a devida realização do processo licitatório. Então os empresários reclamaram e pediram que seja feito a licitação para que todos possam participar. Mudando de assunto, falou sobre a questão do ICMBIO, que recebeu diversas reclamações dos produtores rurais, por conta dos abusos de autoridade dos profissionais, como foi o caso de um produtor que pegou multa de vinte mil reais, simplesmente porque estava com um terçado na mão. Finalizou falando sobre o projeto da redução do salário dos professores, onde disse que foi barrada na rua aonde a população pedia para votar contra o projeto, sendo que nem estava sabendo do projeto pois o mesmo não havia sido ainda apresentado na Casa. Acrescentou sobre a manutenção de pontes nos ramais, que estão precárias.

5 GILDA ALMEIDA (PR)
Explicou sobre o equívoco acontecido em relação ao projeto sobre os salários dos professores, aonde a Vereadora Ivelina por meio disto se antecipou para fazer o estudo do projeto com os Professores. Continuando, disse que em conversa, Prefeito informou que quer baixar apenas um pouquinho do salário, mas é justamente esse pouquinho que os Vereadores têm que se antenar, pois cada um ganha segundo a letra e não porque é beneficiado de outra forma. A classe dos professores não é valorizada e eles tem razão em cobrar para votar contra. Prefeito tem direito de mandar o projeto, mas os vereadores têm que ver com propriedade. No mais pediu que todos tenham propriedade na hora do seu voto, pois uma vez votado não poderão mais voltar atrás. Nisto destacou que não tem nada contra a reunião feita por Ivelina, mas a questão é que não havia sido apresentado ainda. Sobre a questão da maromba, há mais de quatro anos a maromba vem passando por problemas e que a questão agora é que o Prefeito pediu para o Guilherme assumir a maromba até que seja feita uma licitação. Nisto um vereador foi até as instalações da maromba e sugeriu que o senhor Bessa não saísse de lá, enquanto não recebesse um documento assinado pelos Vereadores. Contudo, Gilda explicou que desde que o Guilherme começou a ficar na maromba, o salário dos funcionários começou a normalizar.
Dentre outras coisas, também falou sobre os desmandos de Marquinhos na Seaprof, elucidando que ele ficou com raiva de todos os vereadores por conta da viagem que ela fez a Rio Branco juntamente com o Vereador Wendell, para saber se era verdade o que Marquinhos havia dito na Tribuna da Casa quando foi convocado, ou seja, que fazia frete dentre outras coisas com ordem do Secretário, fato que foi constatado que não era verdade. Finalizou deixando suas condolências às famílias que perderam entes queridos durante o recesso parlamentar.
6 MANOEL MATIAS (PSD)
Relembrou sobre reunião com o Coronel da Polícia Militar, aonde foi discutido sobre a segurança pública no município. Mas observa o descaso com a população, sendo que a cidade cresce despropositalmente e quando isso acontece, se pode observar o caos, como ruas esburacadas, esgotos a céu aberto, professores mal remunerados ou com salários atrasados, dentre outras coisas. Então com essa situação, nunca será possível mudar a história do município, tão pouco do país. Nisto disse que pronunciou-se na reunião, dizendo que nada iria melhorar e que não desmerecia o trabalho do comandante e delegado, mas estes não podem resolver a questão, pois o Acre tem a quarta maior unidade carcerária do país, levando em consideração o tamanho da população. Dentre outras coisas falou também sobre órgãos do Estado estar interferindo com o produtor rural, no que se refere a aplicar multas. Disse que essa não é uma forma de melhorar porque não está oferecendo uma alternativa de vida para essas pessoas. Nisto concluiu que não existe uma política totalmente voltada para o homem do campo, mas sim um total abandono e isso faz com que muitas famílias saiam da zona rural para vir à zona urbana e quando chegam não tem emprego, então muitos jovens caem no mundo do crime por não ter oportunidade de buscar alguma alternativa. Finalizou falando sobre o projeto de salário dos professores e que espera que estes profissionais sejam valorizados pelas autoridades.



VÍDEOS INTERESSANTES

Câmara Municipal De Assis Brasil - Acre
Rua Raimundo Chaar, 372, Centro - CEP. 69935.000