Menu

Vereadores de Assis Brasil

Publicidade

terça-feira, 19 de março de 2019

CASA CHEIA NA 4ª SESSÃO DA CAMARA DE ASSIS BRASIL. Veja as pautas!

1 WENDELL GONÇALVES (PR)
Endossou as suas indicações e ofício que foram lidas no Expediente da Sessão, destacando que solicitou informações a respeito da reforma da Escola Simon Bolívar, no tocante à quando será concluída a reforma da mesma e quando se dará o início das aulas. Também fez indicações para a prefeitura fazer paliativo nos ramais Humaitá, Catianã, Foquim, km 17 entre outros, para garantir que o ônibus faça o transporte de alunos no ano letivo e que espera ser atendido pelo Prefeito. Quanto ao Ramal do 17 disse que foi uma reivindicação de um morador que relatou que a chuva vem causando a erosão do trecho e tornando o ramal intrafegável. Nisto pediu ao Secretário de Obras e ao Prefeito para fazer esses trabalhos e mesmo que não seja de imediato que estejam fazendo o calendário e repassando para a Câmara. Mudando de pauta, reclamou sobre o campeonato municipal, relatando que a equipe vencedora do ano de 2017 ainda não recebeu a premiação. Destacou que a culpa não é do Clécio porque ele faz tudo que pode e desenvolve seu trabalho com louvor, no entanto a Prefeitura não fez o pagamento da premiação. Acrescentou contando que visitou o Perú, viu os alunos praticando esportes no campo de lá, então pediu ao Prefeito que olhe para o esporte de Assis Brasil, que veja a questão do Ginásio pois já vai para cinco anos e não é terminado, ou seja, que já são 5 anos de atraso no esporte. Nisto relembrou que antigamente quando o ginásio funcionava tinha jogo nos finais de semana e as pessoas iam vender comida, então tudo era melhor. Outro pedido feito foi para que volte a ter as competições esportivas, bem como sejam comemoradas as principais datas do calendário, tais como 7 de Setembro, dia do Trabalhador, dentre outras. Finalizou agradecendo a presença da professora Luzia na Casa e convidando os nobres vereadores para fazer visita à escola Simon Bolivar, para averiguar de perto a real situação da mesma, alertando que não pode iniciar as aulas do jeito que está.
2 LÁZARO MANCHINERI (PC do B)
Falou sobre o atraso das aulas nas aldeias e solicitou ajuda dos colegas Vereadores para juntos irem fazer uma cobrança na Secretaria de Educação. Falou sobre indicação que fez em conjunto como Vereador Manoel Matias, destacando que nenhuma de suas indicações são atendidas e por isso se sente muito triste, uma vez que sempre está repassando as reivindicações do povo indígena. Nisto acrescentou que sempre fala ao seu povo para esperar porque nunca sabe se vão atender suas indicações ou não. Reclamou sobre a falta de casa de passagem e de apoio para os indígenas, tanto na cidade como na zona rural. Outro assunto foi sobre o ramal do Icuriã, aonde destacou que irá fazer indicação para que seja efetuado melhoria no ramal, com intuito de que diminua o preço da passagem que pagam para ir e voltar da aldeia. Disse que ficou triste também quando o Vereador Wendell falou na Sessão passada que o ramal só seria melhorado quando tivesse muita produção, então desanimou, porque sabe que a produção dali é pouca. Discorreu também sobre a saúde indígena, contando que estão passando momento muito difícil porque o polo de Assis Brasil não está dando assistência a ninguém então tem que tirar do próprio bolso e que a Saúde Indígena não está pronta para ajudar o povo que tá doente. Nisto indicou que o Conselho Indígena local deveria se reunir mais e cobrar iniciativas dos poderes competentes. Dentre outras coisas, relatou que estão correndo atrás do ensino médio para as aldeias para que os adolescentes não precisem sair da aldeia para continuar os estudos na cidade, uma vez que os alunos que terminaram ensino fundamental estão preocupados se vai ter ou não o ensino médio. Contou que Já foram em Rio Branco, mas não está tendo êxito. Finalizou informando que os indígenas também sentiram falta dos campeonatos na aldeia e questionam porque acabou.
3 ANTONIO CAMELO (PP)
Esporte de Assis Brasil está fraco e precisa-se tomar uma iniciativa, mas não é culpa do coordenador. Ressaltou que estão construindo um dos maiores ginásios do estado do Acre e o esporte está um dos menores. Comentou sobre o campeonato que aconteceu no município. Relatou que existem muitos jogadores bons nas aldeias, só precisa de disciplina. Mudando de pauta, disse que a situação financeira de Cruzeiro do Sul está difícil porque Prefeito ainda não pagou mês de Dezembro, Saúde está sem receber e Prefeito está tentando conseguir o dinheiro para pagar essas dívidas. Acrescentou que até o Estado ainda não pagou todos os débitos do décimo terceiro que estava devendo. E que desta forma, Assis Brasil está de parabéns por ter terminado de pagar o décimo do pessoal.  Sobre as indicações dos Vereadores, destacou que praticamente nenhuma foi atendida, no entanto ressaltou que falta a liberação e execução de muitos convênios para que certas indicações sejam atendidas. Sobre a casa de passagem no Icuriã, disse que é muito importante que seja construída porque seria um local para aqueles que vem de longe, passarem a noite ou aqueles que vem doentes. Sobre os ramais, avaliou que o Icuriã não pode produzir muito porque pertence a reserva e acha que com relação a manutenção, será olhado outros ramais, uma vez que o Icuriã já foi feito duas vezes. Finalizou dizendo que o Prefeito Zum tem muita dificuldade de trabalhar, mas está fazendo tudo o que pode para resolver as questões que a Prefeitura enfrenta.
4 CLÁUDIA GONÇALVES (PSD)
Parabenizou Paulo por seu aniversário que acontece no mesmo dia do seu, no caso no 17 de Março. Depois falou que o Posto Antônio Alves está há quase um mês sem médico, porque a medica pediu para sair então pacientes vão para o Terezinha e quando as fichas estão esgotadas, tem que ir para o Gildo Ferreira ou hospital, mas são locais mais distantes, então destacou que conversando com os pacientes, eles reclamam muito da situação, que não tem atendimento médico, apenas de enfermeiro, vacinação entre outros. Mudando de assunto, discorreu que no Ramal do Recife os moradores estão isolados, tem um bueiro que apartou e não passa ninguém. Repassou a demanda para o Prefeito e não sabe o que está sendo planejado para tirar o povo dessa situação. Em se tratando da Ponte do Iracema, contou que estava na Prefeitura quando chegou um pessoal cobrando sobre ponte que precisa ser feita. Engenheiro já fez o orçamento, mas vai precisar do batistaca, será necessário que Prefeito ou secretario entregue o material para que os moradores iniciem os trabalhos e resolva essa questão. Sobre o DERACRE fazer ou não o melhoramento do Icuriã destacou que é um ramal que produz muita castanha e é o ramal que mais tem gente para vir, tem os indígenas, tem a população em geral e povo que sai do ramal principal. Icuriã é um dos piores ramais todos os anos e precisa de atenção. Sobre indígenas ficarem dormindo na beira do rio porque não tem uma casa de apoio para ficarem, disse que construir sim a casa de passagem, como também tem que brigar para que eles façam parte de Assis Brasil e não de Sena Madureira que não dá apoio nenhum para eles, sendo que são mais de 1000 indígenas. A respeito da reforma da escola Simon, relatou que os pais ficam na expectativa que comece o ano letivo porque muitos deles matriculam seus filhos no horário de trabalho para ficarem mais tranquilos. Nisto criticou que teve Dezembro, Janeiro e Fevereiro e ainda não foi feito nada.  Questionou quando irá iniciar o ano letivo, uma vez que a escola ainda não foi melhorada. Com isso relatou fatalidades que podem acontecer com os alunos da escola. Informou ainda que a pessoa que pegou a parte elétrica para fazer, disse que só pode iniciar quando for feito a cobertura e não tem previsão. Dentre outras coisas informou que o pagamento das carretas já foi feito e vão começar a entregar os exames no dia 22. Mas redarguiu que imaginando o gasto exorbitante que foi feito com as carretas, com limpezas e obturações que estava custando cerca de 180 reais, a população pagou um preço muito caro. E em se tratando das mamografias, não supriu as necessidades realmente do que precisava, pois as pessoas não ficaram satisfeitas porque não atendeu as demandas do povo, principalmente das grávidas que fizeram a ultrassonografia na carreta e muitas tiveram que fazer de novo em Brasiléia porque já estava em época de dar à luz e os exames não chegavam. Finalizou abordando a falta de áreas de diversão para as crianças em Assis, aonde no Perú quando vai a tarde vê que a praça está sempre lotada de crianças brincando, acompanhadas de seus pais, em sua maioria brasileiros.
5 MANOEL MATIAS (PSD)
Discorreu sobre a Escola Simon Bolívar, destacando que já havia falado diversas vezes na tribuna sobre os problemas críticos de telhado, fiação elétrica, bem como contou do prévio incêndio que aconteceu nas mediações da escola, aonde os alunos tiveram que ser removidos do recinto e levados para a praça Rondon, até que o incêndio fosse contido. No demais exemplificou o incêndio que aconteceu no time do Flamengo aonde morreram vários adolescentes, que por sua vez já eram grandes e tinham capacidade de tentar sair do local, imagine o que aconteceria com as crianças que não tem noção do perigo. Relatou também os problemas enfrentados pelo povo indígena na Beira do Rio, sem terem um local para pernoitar. Dentre outras coisas disse que o Produtor rural está abandonado pelo poder público, mesmo sendo o campo a solução dos problemas da cidade, no entanto destacou que do campo também surgem demandas, pois o campo também tem problemas e precisam ser resolvidos. Nisto reclamou dos órgãos fiscalizadores que vão na zona rural e multam os produtores, sem que os mesmos tenham direito de se defenderem, pois são valores altíssimos. Acrescentou que com a falta de resolução dos problemas dos produtores rurais, muitos jovens vêm para a zona urbana e correm o risco de irem para o mal caminho. Destacou ainda que, em todos os ramais tem produtos estragando, então precisa reunir com o Prefeito para buscar solução dessas problemáticas. Finalizou agradecendo o Prefeito por ter ajudado na construção da horta dos jovens ecologistas, criada na escola Simon Bolívar, que é um exemplo para muita gente por se tratar de um lindo trabalho.
6 PAULO SALES (PP)
Agradeceu a presença da Professora Luzia na Sessão Legislativa e a parabenizou pela legislatura que fez e que em conjunto com seu pai fizeram um bonito trabalho. Nisto alfinetou, destacando que naquela época as pessoas de cabelo branco tinham valor, tinham palavra e não era como hoje em dia. Mudando de assunto falou sobre o abandono da área rural por parte dos órgãos competentes, disse que ganhou muitos votos na zona rural, quando dizia que o Prefeito era a pessoa certa para administrar o Município, pois fazia parte do Ministério da Agricultura então iria ter um olhar especial para o povo da zona rural, mas estava enganado porque está um total abandono, nisto citou o Ramal da Bacia e polo industrial que estão abandonados. Destacando que tem muita coisa jogada fora no polo industrial, então fica imaginando como é que o Prefeito de São Paulo administra sua cidade, porque o prefeito de uma cidade pequena como Assis Brasil, não tem tempo para atender um vereador, fica o todo tempo atendendo celular e cheio de demandas, no entanto nada acontece.  Nisto indicou que prefeito poderia tirar um tempo para conversar com o povo na rua e ouvir os anseios da população, já que não ouve os Vereadores. Finalizou pedindo que nas próximas eleições a população julgue na hora de votar, que avalie cada um, que veja quem tem capacidade de voltar e quem está lá fora que pode entrar.


VÍDEOS INTERESSANTES

Câmara Municipal De Assis Brasil - Acre
Rua Raimundo Chaar, 372, Centro - CEP. 69935.000